Pequenas subidas, grandes conquistas

Esqueça as grandes montanhas, escaladas épicas, horas de sofrimento e habilidades de ciclistas profissionais. Tudo que você precisa saber sobre subidas está bem perto de você.

Este guia é para pessoa comuns, com bicicletas normais e sem a intenção de virar atleta. Enquanto a maioria dos blogs de bicicleta focam em performance e velocidade, aqui vou falar sobre como enfrentar aquelas pequenas subidas do dia a dia: ladeiras do bairro, pequenos morrinhos do caminho, passarelas, e até a rampa de entrada da sua garagem. São nessas ocasiões que a maioria das pessoas empaca e acaba tendo que empurrar a bicicleta até o final da subida. E nada mais chato do que ter que interromper a sua pedalada por causa de uma mísera subidinha, não é mesmo?

A verdade é que qualquer bicicleta com marchas tem capacidade de tornar a maioria das subidas em algo confortável. Você só precisa saber usar as marchas disponíveis para conseguir este efeito. Se tudo estiver funcionando corretamente você nunca mais vai ter dificuldades.

As dicas a seguir servem para qualquer subida em qualquer lugar, mas para ilustrar esta aula vamos usar como exemplo as passarelas da ciclovia da Beiramar. É incrível, mas uma das subidas mais complicadas da cidade é justamente a que deveria ser mais fácil. Ela é mais complicada que a maioria das subidas em nossas ruas e avenidas, e é especialmente difícil por 3 motivos: o acesso dificulta o “embalo”, a rampa é mais inclinada do que parece, e quase sempre tem mais gente no caminho. Sendo assim, não é sempre que você consegue entrar embalado e pedalar forte até o final.

Mas agora chega de blablabla, e vamos direto ao ponto.


Primeira dica : troque de marcha ANTES de começar a subida.

A maioria dos problemas acontecem quando você chega no meio da subida e não consegue trocar para uma marcha mais leve. Isso acontece porque a “embreagem” da bicicleta é a nossa perna: você precisa tirar um pouco a força quando quer trocar de marcha. Se estiver fazendo muita força no pedal, não vai funcionar.

Portanto, se antecipe. Quando você bater o olho na rampa à sua frente, já vai colocando na menor coroa da sua pedivela (trocador da mão esquerda). Essa é a marcha mais leve da frente. Talvez seja até leve demais, mas aí você pode mudar as marchas da roda traseira (mão direita). Depois você pode tentar subir outra vez com a coroa do meio para ver como fica. Apenas jamais use a maior coroa, que é a mais pesada, porque aí você vai ter que fazer muita força e pode danificar a sua transmissão.Subidas-1

Segunda dica: vá com calma.

Outro erro comum é tentar subir rápido e, consequentemente, perder o fôlego. Se você não está com pressa, pra que ir rápido? É melhor você garantir uma subida tranquila do que ter problemas no meio do caminho. Portanto pedale num ritmo sossegado, com o objetivo de apenas concluir a subida. Com o tempo você vai descobrir qual o seu ritmo ideal, mas primeiro aprenda a ir devagar.

Subidas-2

 

Terceira dica: pratique.

É só praticando que se ganha experiência. Mesmo que você não tenha objetivos esportivos, é ótimo dominar o seu veículo e se sentir confiante em situações variadas. Ao praticar estas simples dicas, você vai ganhar segurança e não vai mais hesitar quando aparece uma subida na sua frente. Portanto sugiro que você aproveite algum dia que estiver tranquilo para treinar este procedimento várias vezes, até não restarem mais dúvidas. Depois que você dominar isso, vai conseguir subir qualquer morro que aparecer na sua frente!


É só isso. Simples né? Agora, é claro que suas marchas precisam estar funcionando corretamente, senão nenhuma dica vai te ajudar. Se o câmbio da sua bicicleta está ruim, traga aqui na Bike Tech Floripa que a gente dá um jeito 😉